Após afastamento de policiais, base da PRF na BR-316 vira “prostíbulo de luxo” e ponto de encontro de usuários de drogas

2
Unidade Operacional, PRF, desativada, BR-316

Desativado parcialmente (pra não dizer totalmente), a Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal foi praticamente esvaziada após o surgimento de uma denúncia envolvendo policiais e um suposto esquema de pagamento de propinas. Todos os procedimentos foram adotados pela corporação visando elucidar o caso, inclusive optando pelo afastamento dos policiais lotados na unidade. Um ano após a ocorrência, a base se encontra praticamente desativada.

Pode-se facilmente identificar a presença de um vigilante no local, o que não intimida casais que mesmo tendo outros lugares para se relacionar procuram o local para se relacionar. A baixa iluminação no entorno do local facilita e muito a vida de usuários de drogas que ironicamente procuram as proximidades para consumir entorpecentes.

Com a desativação da UOP localizada entre Nova Olinda do Maranhão e Araguanã, o caminho ficou livre para o escoamento de carregamento de drogas, algo bastante comum na região, e que acaba sobrecarregando a Polícia Militar. Ainda não há previsão para o restabelecimento do policiamento, em dias e horários alternados uma guarnição da PRF se fixa para realizar blitz mas o trabalho é comparado a “enxugar gelo” já que após 60 minutos, os mesmos retornam para suas unidades de origem. O Governo Federal aumentou o número de PRFs em atuação nas rodovias federais mas acabou se esquecendo de uma que custou dinheiro público e que infelizmente está sem uso atualmente.

2 COMENTÁRIOS

  1. Se for verdade, tenho uma pergunta: por ser no Maranhão, pq o Governo do Estado não tem a humildade de solicitar ajuda ao Governo Federal? Acredito q este tem boa vontade em resolver.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui